A Reunião de Outono da Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa (CIMLOP) está já a ser preparada e irá decorrer em Lisboa, como vem sendo hábito, no próximo mês de Outubro. Consagrada, desde 2013. como a reunião mais significativa da Confederação por ser aquela onde passou a ser atribuída a Medalha de Ouro CIMLOP, este encontro é, crescentemente,  um marco para os mercados imobiliários para os países da lusofonia.
Como também vem sendo hábito, a Reunião de Outono da Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa (CIMLOP) contemplará uma Rodada de Negócios, entre empresários do sector dos países que integram a confederação e que costumam aproveitar estes encontros para divulgar empreendimentos e concretizar investimentos.
As rodadas de negócios dão corpo a uma das principais vocações da estrutura confederativa, que visa a dinamização da atividade económica da fileira da Construção e do Imobiliário dos Países de Língua Oficial Portuguesa e por esta via, das próprias economias destes países, harmonizando a informação sobre a oferta e a procura imobiliárias no vasto espaço da lusofonia.
Como presidente da CIMLOP tenho sido consultado por colegas de diversos países que integram a confederação dando-me conta do crescente interesse que o mercado imobiliário português está a despertar em muitos investidores, cientes da segurança que algumas ofertas, no quadro da Reabilitação Urbana em curso em Portugal e das suas ligações ao Turismo Residencial, suscitam.
Também por este crescente interesse, nomeadamente por parte de investidores africanos e sul americanos, a próxima Reunião de Outono da CIMLOP será, seguramente, um bom momento para se aferir a real capacidade de mercado imobiliário português como refúgio para investimentos seguros e como um dos pilares da própria recuperação da Economia portuguesa.
Os mercados imobiliários maduros que souberam resistir à tentação das bolhas imobiliárias, como aconteceu com o mercado imobiliário português, ganham outra dinâmica, com maior atratividade, em países cujas economias estão a recuperar de momentos mais difíceis e a relançar-se na base dos mercados mais consistentes. 
Já em preparação, para estar à altura de marcar a rentrée, a reunião de Outono da CIMLOP, no próximo mês de Outubro em Lisboa, será também, assim o espero, um marco para a própria Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa, organização que se consolida como um instrumento precioso para o desenvolvimento económico dos países lusófonos.
Luís Lima
Presidente da CIMLOP
Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa

A Reunião de Outono da Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa (CIMLOP) está já a ser preparada e irá decorrer em Lisboa, como vem sendo hábito, no próximo mês de Outubro. Consagrada, desde 2013. como a reunião mais significativa da Confederação por ser aquela onde passou a ser atribuída a Medalha de Ouro CIMLOP, este encontro é, crescentemente,  um marco para os mercados imobiliários para os países da lusofonia.
Como também vem sendo hábito, a Reunião de Outono da Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa (CIMLOP) contemplará uma Rodada de Negócios, entre empresários do sector dos países que integram a confederação e que costumam aproveitar estes encontros para divulgar empreendimentos e concretizar investimentos.
As rodadas de negócios dão corpo a uma das principais vocações da estrutura confederativa, que visa a dinamização da atividade económica da fileira da Construção e do Imobiliário dos Países de Língua Oficial Portuguesa e por esta via, das próprias economias destes países, harmonizando a informação sobre a oferta e a procura imobiliárias no vasto espaço da lusofonia.
Como presidente da CIMLOP tenho sido consultado por colegas de diversos países que integram a confederação dando-me conta do crescente interesse que o mercado imobiliário português está a despertar em muitos investidores, cientes da segurança que algumas ofertas, no quadro da Reabilitação Urbana em curso em Portugal e das suas ligações ao Turismo Residencial, suscitam.
Também por este crescente interesse, nomeadamente por parte de investidores africanos e sul americanos, a próxima Reunião de Outono da CIMLOP será, seguramente, um bom momento para se aferir a real capacidade de mercado imobiliário português como refúgio para investimentos seguros e como um dos pilares da própria recuperação da Economia portuguesa.
Os mercados imobiliários maduros que souberam resistir à tentação das bolhas imobiliárias, como aconteceu com o mercado imobiliário português, ganham outra dinâmica, com maior atratividade, em países cujas economias estão a recuperar de momentos mais difíceis e a relançar-se na base dos mercados mais consistentes. 
Já em preparação, para estar à altura de marcar a rentrée, a reunião de Outono da CIMLOP, no próximo mês de Outubro em Lisboa, será também, assim o espero, um marco para a própria Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa, organização que se consolida como um instrumento precioso para o desenvolvimento económico dos países lusófonos.
Luís Lima
Presidente da CIMLOP
Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa