A economia de Cabo Verde cresceu a uma taxa de 2,7% em 2014, de acordo com as Contas Trimestrais provisórias apresentadas na Praia pelo presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE), António Duarte.
O presidente do INE, organismo que pela primeira vez desde a independência do país apresenta Contas Trimestrais, disse que o valor registado em 2014 superou todas as previsões.
O Produto Interno Bruto do arquipélago cresceu 1,1% em 2012, a que se seguiu uma quebra marginal para 1% em 2013 e uma subida significativa para 2,7% em 2014.
“Esta evolução significa que houve uma forte retoma do crescimento da economia em 2014. Vamos ver como vai evoluir em 2015, porque já em Junho próximo vamos apresentar as contas do 1º trimestre”, indicou António Duarte, citado pelo jornal A Semana.
Os sectores da economia que mais contribuíram para este crescimento foram a pesca, construção, telecomunicações e serviços às empresas depois de um ano antes terem sido os da pesca, electricidade e água, alojamento e restauração e telecomunicações.
As Contas Nacionais Trimestrais fornecem, a um ritmo infra-anual, informação macroeconómica completa, relativamente pormenorizada, coerente e, principalmente, integrada com o Sistema de Contas Nacionais Anuais publicado anteriormente.
A informação trimestral, em valor corrente e em valor a preços do ano anterior (em volume), permite uma melhor observação dos ciclos económicos, o seu seguimento, a sua compreensão e consequentemente, uma previsão plausível da dinâmica da economia. 

A economia de Cabo Verde cresceu a uma taxa de 2,7% em 2014, de acordo com as Contas Trimestrais provisórias apresentadas na Praia pelo presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE), António Duarte.

O presidente do INE, organismo que pela primeira vez desde a independência do país apresenta Contas Trimestrais, disse que o valor registado em 2014 superou todas as previsões.

O Produto Interno Bruto do arquipélago cresceu 1,1% em 2012, a que se seguiu uma quebra marginal para 1% em 2013 e uma subida significativa para 2,7% em 2014.

“Esta evolução significa que houve uma forte retoma do crescimento da economia em 2014. Vamos ver como vai evoluir em 2015, porque já em Junho próximo vamos apresentar as contas do 1º trimestre”, indicou António Duarte, citado pelo jornal A Semana.

Os sectores da economia que mais contribuíram para este crescimento foram a pesca, construção, telecomunicações e serviços às empresas depois de um ano antes terem sido os da pesca, electricidade e água, alojamento e restauração e telecomunicações.

As Contas Nacionais Trimestrais fornecem, a um ritmo infra-anual, informação macroeconómica completa, relativamente pormenorizada, coerente e, principalmente, integrada com o Sistema de Contas Nacionais Anuais publicado anteriormente.

A informação trimestral, em valor corrente e em valor a preços do ano anterior (em volume), permite uma melhor observação dos ciclos económicos, o seu seguimento, a sua compreensão e consequentemente, uma previsão plausível da dinâmica da economia.